Dimensionamento

O Dimensionamento objetiva potencializar e qualificar a força de trabalho na Atenção Básica, de acordo com os princípios e diretrizes da Política Nacional de Atenção Básica, principalmente no que se refere a “desenvolver mecanismos técnicos e estratégias organizacionais de qualificação da força de trabalho para gestão e atenção à saúde (...)”. (MS, PNAB – 2012). Para o desenvolvimento do dimensionamento, apresenta-se quatro questões norteadoras:

Para quem?

Essa pergunta deve ser respondida identificando e conhecendo os usuários que vivem no território, considerando-os como sujeitos históricos, ativos, inseridos num determinado lugar, convivendo com os dilemas, os conflitos e com as contradições presentes na macro e na micropolítica da cidade. Usuários autênticos, dotados de necessidades e valores próprios, com situações de vida singular e dinâmica. Falamos de um sujeito como um ser que produz uma história e é responsável pelo seu próprio devir. A partir dessas definições é que classificamos a vulnerabilidade social dos territórios circunscritos pelas unidades de saúde.

O que oferecer?

Trata de quais serviços de saúde deverão ser oferecidos de modo a atender as diferentes necessidades de saúde, tomando-as como centro das intervenções e práticas implementadas pelos trabalhadores em seu cotidiano, visando uma atenção mais humanizada e qualificada. Considerando que as necessidades de saúde dos usuários podem variar desde as ações mais simples e concretas (consumo de medicamentos) até as mais complexas e subjetivas (violência domiciliar), a equipe de saúde, independente dos arranjos organizacionais, deverá ter sensibilidade e capacidade para decodificar essas necessidades de saúde, ofertando serviços da melhor forma possível.

Como fazer?

Aqui analisamos a organização do processo de trabalho, a maneira como serão ofertadas as atividades desenvolvidas nos serviços, os fluxos estabelecidos e as atribuições dos cargos, considerando o trabalho coletivo institucional, que se desenvolve com características do trabalho profissional.

Quantos Profissionais?

Essa dimensão é quantitativa, baseada em cálculos matemáticos que trazem a distribuição formal de trabalhadores por unidade básica de saúde, cargo e jornada semanal. Trata-se de identificar a quantidade, de profissionais ou horas, que será necessária para atender com qualidade as necessidades de saúde dos usuários, ofertando os serviços de forma organizada e resolutiva. Ao responder essa questão é possível realizar uma avaliação comparativa entre o quadro atual e o dimensionado, identificando deficit ou superavit de profissionais, sendo esse resultado utilizado para definição de necessidade de realização de concursos públicos, distribuição de vagas por categoria profissional, alocação e remanejamento de pessoal e priorização de vagas de acordo com a maior necessidade de compor as equipes nas unidades básicas de saúde.